Uma cultura que sempre teve a personalidade para conquistar novos lugares, que em princípio, nem eram em tese para a cultura se adaptar, tornando-se o carro chefe de produtores. Estamos falando da cultura da soja que surgiu na China e chegou ao Brasil pela Bahia em 1882, por obra do professor Gustavo Dutra, da Escola de Agronomia da Bahia, somando 135 anos desta cultura no Brasil.

Dia de Campo no assentamento Nova União – Abertura do Plantio da Colheita. Fotos: Joanes Araujo

A Planta chamada nos meios científicos como Glycine Max, mais conhecida como soja, que já foi “feijão-soja”, quando aportou no Rio Grande do Sul. O grão que chegou desimportante e galgou degraus de hectares até atingir os patamares de milhares de produtores, milhões de hectares, toneladas e bilhões de reais em insumos, exportações.

A cadeia da soja está em processo contínuo de evolução. Os desafios que envolvem a oleaginosa trabalham para avançar a sustentabilidade da produção e na competitividade das exportações. Sobre tudo, a soja é uma cultura que envolve Seres Humanos, pois a dimensão que este grão atingiu na agricultura e na economia do Brasil são resultados do empenho de muita gente.

Esse exemplo de pessoas trabalhadoras e que multiplicam as sacas a cada colheita, nós encontramos aqui em Hulha Negra, no interior do município. Para ser mais exato, na comunidade Nova União, cerca de 30 quilômetros da sede de Hulha Negra.

No início do mês um grupo de produtores familiares se reuniram para dar início a um projeto que tem muito a crescer. Unidos, ele realizaram um Dia de Campo para celebrar o início do plantio da soja. No centro Multiuso da Nova União foi realizado um encontro de produtores, familiares, e empresas que dão assistência técnica e financeira, além de representantes de maquinários, combustíveis e outros insumos.

O almoço de confraternização foi regado com muita alegria, e lógico, com churrasco, saladas e cuca. Assim com o almoço, refrigerantes, água e chope também foram distribuídos gratuitamente para os participantes. A tarde foi realizado a mostra de maquinários e a “carreata” com máquinas dando início simbólico ao plantio do grão.

Representando a Puro Grão, Olavo Pereira, 62, anos enfatizou a união do grupo e o constante crescimento anual da safra. “É notório que  a cada ano a produção aumenta, isso é gratificante pois mostra que os produtores estão no caminho certo”, avalia Pereira.

O Técnico Agrícola Alexandre Sander, 30 anos, representante da  3 Tentos também elogiou o grupo de produtores. “Estamos felizes e prontos para auxiliar os produtores no que for preciso. Vamos crescer juntos”, destacou.

Hermes e Fernando Klassmann, da Super Máquinas, estão atendendo os produtores há três anos. A avaliação também é produtiva. “São produtores que buscam sempre o melhor e buscam produzir com qualidade. Somos parceiros dessa idéia e que venham as próximas festas”, pontuou Klassmann.

O engenheiro agrônomo da Pro Bagé, Henrique Campagnol,  30 anos, acredita no potencial econômico gerado através do plantio de soja. “A soja veio pra aquecer o mercado e quem trabalha e investe num plantio correto e manutenção, só vai colher bons resultados”, acredita.

O representante da Sul Diesel Fita Azul afirma que a empresa não mede esforço para estar sempre ao lado do produtor. Gladimir Garcia, explica que a empresa tem uma logística acirrada para fornecer rapidez, agilidade e compromisso com o produtor.

“Pra nós é uma satisfação estar participando deste evento que é uma marco para a essa comunidade. Fico feliz de ver o envolvimento de todos e principalmente das mulheres que estão lado a lado, não atrás e nem a frente, mas lado a lado. O Banrisul está cada vez mais voltado ao agronegócio, estamos de portas abertas para auxiliar os produtores que com seu trabalho colocam alimento em nossas mesas”, disse a gerente do Banrisul de Hulha Negra, Luciéle Alves.

Um dos organizadores do evento, Gilvan Trentin, enfatiza que a união entre os produtores garante um ótimo resultado. “Somos unidos, trabalhamos com amor e o resultado vem de forma natural. Estamos aumentando nossa produção e investindo cada vez mais em maquinários. A soja gera um aumento significativo na renda e isso é reflexo do trabalho. Trabalhamos em família”, pontua Trentin.

Filha de produtores Simone Larsson também ajudou organizar o evento. “É o primeiro passo de muitos eventos que iremos realizar. Esse Dia de Campo foi feito as pressas e mesmo assim todos estão elogiando. A ideia é realizar todos os anos e quem sabe, pro futuro, pode se transformar em Festa do Plantio. Agradeço todos que ajudaram para o sucesso do nosso evento”, comemorou Simone.

Participaram do Dia de Campo as empresas Coradini, ProBagé, Super Tratores, Fracapi, 3 Tentos, Puro Grão, Rigo, Sul Diesel Fita Azul, Banrisul, Starmaq, Super Máquinas e Comercial Ferri. Confira um vídeo do evento clicando aqui.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comentários

comentários